Notice: Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE in /home/lojadacl/public_html/labpsibarcelos/site/funcoes.php on line 60
Laboratório de Psicologia de Barcelos - Dificuldades de Aprendizagem Específicas

Dificuldades de Aprendizagem Específicas

Qual a definição correta?

De acordo com Luís de Miranda Correia (2008) “as dificuldades de aprendizagem específicas dizem respeito à forma como um indivíduo processa a informação – a recebe, a integra, a retém e a exprime -, tendo em conta as suas capacidades e o conjunto das suas realizações. As dificuldades de aprendizagem específicas podem, assim, manifestar-se nas áreas da fala, da leitura, da escrita, da matemática e/ou da resolução de problemas, envolvendo défices que implicam problemas de memória, perceptivos, motores, de linguagem, de pensamento e/ou metacognitivos. Estas dificuldades, que não resultam de privações sensoriais, deficiência mental, problemas motores, défice de atenção, perturbações emocionais ou sociais, embora exista a possibilidade de estes ocorrerem em concomitância com elas, podem, ainda alterar o modo como o individuo interage com o meio envolvente” (Coelho, 2014,p.9).  

Existem várias definições para dificuldades de aprendizagem específicas, no entanto, há um conjunto de características que lhes são comuns e que se podem, de certa forma, isolar (Coelho, 2014,p.10):

Segundo Correia (2008), dois pontos essenciais são adicionados: a existência de uma discrepância académica, entre o potencial de inteligência estimado e a realização escolar, e o facto de as Dificuldades de Aprendizagem serem uma condição vitalícia, ou seja, se possuem uma origem neurológica, não desaparecem com a idade – todavia uma intervenção adequada possa atenuar as dificuldades observadas (Coelho, 2014).

Este mesmo autor ressalva também que a área das dificuldades de aprendizagem, por ser ainda muito jovem, é aquela que tem experimentado mais crescimento, mais controvérsia e é, ainda, a mais confusa de todas aquelas que se inserem no espectro das necessidades educativas especiais (Coelho, 2014).

Analisando o grande grupo das Necessidades Educativas Especiais (NEE), constata-se que são as dificuldades de aprendizagem que apresentam maior taxa de prevalência (48%) – ver gráfico seguinte (Correia, 1999 cit. in Coelho, 2014):

                                                                                        

Quais são especificamente?

1. Dislexia

Etiologicamente, o termo dislexia resulta dos conceitos dis (desvio) + lexia (leitura, reconhecimento das palavras) (Correia, 1999) .

De acordo com a Associação Internacional de Dislexia (2003) esta dificuldade de aprendizagem“É caracterizada por dificuldades na correcção e/ou fluência na leitura de palavras e por baixa competência leitora e ortográfica. Estas dificuldades resultam tipicamente de um défice na componente fonológica da linguagem que é frequentemente imprevisto em relação a outras capacidades cognitivas e às condições educativas. Secundariamente podem surgir dificuldades de compreensão leitora, experiencia de leitura reduzida que podem impedir o desenvolvimento do vocabulário e dos conhecimentos gerais”

Sinais de Alerta

                                                                                                         (Fonte: adaptado de Coelho, 2014)

2. Disgrafia

Etimologicamente, disgrafia deriva dos conceitos “dis” (desvio) + “grafia” (escrita).

É caracterizada por “uma perturbação de tipo funcional que efeta a qualidade da escrita do sujeito, no que se refere ao seu traçado ou à grafia (…), com problemas de execução gráfica e de escrita das palavras” (Torres & Fernández, 2001, p. 127 cit. in Correia, 2014).

A escrita de uma criança com disgrafia é desviante em relação à norma/padrão. Estas crianças apresentam “caligrafia deficiente, com letras pouco diferenciadas, mal elaboradas e mal proporcionadas” , a chamada “letra feia” (A.P.P.D.A.E, 2011b cit. in Correia, 2014).

Sinais de Alerta

De acordo com a Associação de Apoio e Terapêutica das Perturbações de Desenvolvimento (2007) existem indicadores primários que podem ajudar os pais e professores a diagnosticar precocemente a Disgrafia (Correia (2014) :


3. Disortografia

Etimologicamente, disortografia resulta dos conceitos dis (desvio) + orto (correto) + grafia (escrita) (Correia, 2014).

A Disortografia é uma dificuldade manifestada por “um conjunto de erros da escrita que afetam a palavra, mas não o seu traçado ou grafia, pois uma criança disortográfica não é forçosamente, disgráfica. Trata-se de uma perturbação que afeta as aptidões da escrita e que se traduz por dificuldades persistentes e recorrentes na capacidade da criança em compor textos escritos. As dificuldades centram-se na organização, estruturação e composição de textos escritos; a construção frásica é pobre e geralmente curta, observa-se a presença de múltiplos erros ortográficos e [por vezes] má qualidade gráfica” (Pereira, 2009, p. 9 cit. in Correia, 2014, p. 116).

Sinais de Alerta

De acordo com a Associação de Apoio e Terapêutica das Perturbações de Desenvolvimento (2007) existem indicadores primários que podem ajudar a prevenir a evolução desta problemática (Correia (2014):


4. Discalculia 

Etimologicamente, discalculia resulta dos conceitos dis (desvio) + calculare (calcular, contar)

 Esta dificuldade de aprendizagem é “um distúrbio de aprendizagem que interfere negativamente com as competências de matemática de alunos que, noutros aspectos, são normais. Assim, trata-se de uma desordem neurológica específica que afeta a habilidade de uma pessoa compreender e manipular números” (Filho, 2007 cit. in Correia 2014), p. 170)

A matemática é considerada, tradicionalmente,  uma disciplina de difícil compreensão. Segundo os estudos que foram feitos nesta área, a maior parte dos alunos revela problemas na aprendizagem desta disciplina. Muitos não conseguem compreender os enunciados dos problemas, outros demoram muito tempo a perceber se precisam de somar/dividir/multiplicar e outros não conseguem concluir uma operação aparentemente simples (Correia (2014).   

Sinais de Alerta

De acordo com a Associação de Apoio e Terapêutica das Perturbações de Desenvolvimento (2007) existem vários sinais de alerta que podem auxiliar na confirmação da discalculia (Correia (2014):


Referência Bibliográfica

Coelho, D. T. (2014). Dificuldades de aprendizagem específicas: dislexia, disgrafia, disortografia e discalculia. Porto: Areal Editores.

Brochura

Faça aqui o download da Brochura!

Custos

Entre em contacto com o nosso Serviço Social e receba toda a informação acerca dos direitos sociais da criança ou jovem. Ligue já 253 822 067!


Quer um site assim?